15

set

Sra. Shimizu. Com o livro. Na sala de aula.

Comecei a ler Agatha Christie pelo final do livro. Minha mãe ou meu irmão estavam lendo e eu tinha um pouco de pressa. Depois disso, fui emendando um no outro. Ler Agatha Christie é um pouco parecido com assistir um procedural – você até gosta do Poirot, mas se importa mais com quem foi o assassino, como tudo aconteceu e qual foi o motivo. Professor Black, com o cano, no escritório. Por vaidade, talvez.

Não precisa de muita ordem, não precisa lembrar os detalhes do outro livro. Você simplesmente senta com o livro e procura comida de vez em quando. Simples.

Google Doodle: 120 anos do nascimento de Agatha Christie

Mas isso foi há muito tempo.

Alguns anos depois, em 2001, estava entrando na faculdade. Com a estranha sensação de que todas as outras pessoas eram sérias demais e não assistiam televisão e não faziam a menor ideia de nada do que eu estava falando. Em uma das primeiras aulas, estávamos nos apresentando. Seu nome. O que você faz aqui, na faculdade de jornalismo. Qual é o seu livro de cabeceira.

Depois de ouvir várias pessoas contando que leram nas férias (e adoraram) “Notícias do Planalto” ou qualquer outro livro sobre jornalismo, a Naila disse que gostava Agatha Christie.

Ufa. :)

Deixe um comentário