07

out

Ninguém nem se importou com os sentimentos de Goiás?

E eis que não era só boato:

Estrada Steve Jobs – Para homenagear o co-fundador e visionário da Apple, a Prefeitura de Jundiaí quer nomear de Steve Jobs a estrada que liga a rodovia Anhanguera à primeira planta de produção da empresa fora da China. O nome substituiria o atual, que é Caminho de Goiás. O projeto de lei que sugere a alteração será encaminhado à Câmara Municipal nos próximos dias para votação dos vereadores.

Segundo a assessoria da Prefeitura, a expectativa é de que a nova planta da Foxconn no município gere 6 mil empregos e inicie a produção de iPhones e iPads ainda em 2011. (Jornal de Jundiaí)

Não preciso entrar de novo na questão do Steve Jobs como ídolo questionável – todos os homenageados são imperfeitos. Eu viajo diariamente por uma estrada chamada “Rodovia dos Bandeirantes”, aquela gente finíssima – mas que foi decisiva para o estado.

Mas vamos ser honestos: Jundiaí não terá um escritório da Apple, e sim uma fábrica da Foxconn. Sendo esse o caso, acho justo sugerir o nome “Estrada dos 14 operários“. E não, eu não estou de trollagem.

Eles provavelmente não eram gênios visionários e definitivamente não eram bilionários. Mas eles chamaram a atenção do mundo para condições de trabalho de quem faz o seu gadget da Apple, da Dell, da Motorola, da Nokia, da HP, da Sony e possivelmente de algumas coisas menos desejadas. Eles forçaram mudanças na fábrica onde trabalhavam – poucas, provavelmente, mas mais do que você e eu que estamos nos matando não-literalmente de trabalhar para comprar alguma coisa shiny sem a qual não podemos viver. E eles eram funcionários da Foxconn, como as 6 mil pessoas que devem trabalhar na filial de Jundiaí. Pois é, serão funcionários da Foxconn. Não da Apple.

E talvez isso funcione como um aviso: não tentem fazer o mesmo aqui.

Ou talvez seja hora de se render mesmo.

Deixe um comentário