02

dez

Dois problemas e seis sugestões para o ATP Challenger Finals

Problema: nenhum tenista quer vir

Na teoria, participam do ATP Challenger Finals um tenista convidado pela organização (aka Thomaz Bellucci) e os sete melhores do circuito Challenger no ano. Na realidade, chamaram até o 20º da lista, e o 21º entrou de reserva com a desistência do Bellucci após o primeiro jogo. Se mais alguém tivesse abandonado no meio da fase de grupos, o reserva seguinte era o Rogerinho, apenas 57º no ranking de Challengers (05/11/2012).

1 Hanescu, Victor (ROU)
2 Lorenzi, Paolo (ITA)
3 Klizan, Martin (SVK)
4 Bedene, Aljaz (SLO)
5 Kuznetsov, Andrey (RUS)
6 Janowicz, Jerzy (POL)
7 Donskoy, Evgeny (RUS)
8 Ito, Tatsuma (JPN)
9 Pella, Guido (ARG)
10 Gimeno-Traver, Daniel (ESP)
11 Haider-Maurer, Andreas (AUT)
12 Bautista-Agut, Roberto (ESP)
13 Zemlja, Grega (SLO)
14 Ramirez Hidalgo, Ruben (ESP)
15 Elias, Gastao (POR)
16 Sousa, Joao (POR)
17 Soeda, Go (JPN)
18 Sijsling, Igor (NED)
19 Bolelli, Simone (ITA)
20 Ungur, Adrian (ROU)
21 Alves, Thiago (BRA) *alternate
57 Dutra Silva, Rogerio (BRA) *alternate

Janowicz acabou de fazer final do Masters 1000 de Paris. Klizan entrou no top 30. Zemlja encerra um ano razoável no número 55. Já era esperado que eles ignorassem o Challenger Finals. Mas os pontos e a premiação eram significativos, e tenistas pouco expressivos nem pensaram duas vezes antes de esnobar o torneio.

Para quem viu a fase de grupos, a impressão que ficou é a de que mesmo os que vieram não estavam lá com aquela vontade toda.

O que fazer?

1. Incluir na premiação algum tipo de get-out-of-jail-free-card – um wildcard para um Masters 1000 à escolha do vencedor durante a temporada seguinte.

2. Antecipar o torneio – finalistas do ATP World Tour Finals entraram em férias dia 13 de novembro, enquanto os finalistas do Challenger Finals entraram em férias somente no dia 2 de dezembro. Se você não acha que três semanas são significativas, adie o início das suas férias e descubra que não poderá alterar a data de retorno. A temporada 2013 não vai ficar esperando por você só porque você jogou um torneio não muito importante em São Paulo! Dia 30 de dezembro deste ano, Andy Murray e Milos Raonic estarão abraçando koalas em Brisbane, prontinhos para jogar.

3. Match tiebreak na fase de grupos – fim de novembro, tenistas cansados e tentando chegar inteiros para a temporada seguinte. Resultado: cadê a vontade de remar depois de perder o primeiro set? Mas se o terceiro set fosse um match tiebreak, tenistas teriam mais motivo para se esforçarem, e ninguém sairia morto de quadra.

Problema: a torcida não aparece

Não se usa upper ring do Ibirapuera durante o ATP Challenger Finals. Uma parte da arquibancada ficava coberta de tecidos para evitar que esvaziassem o lower ring. Na final, foi comemorada a presença de alguma coisa parecida com 2 mil torcedores (números oficiais). E os ingressos custavam 10 reais!

Afinal, pessoas trabalham. E o metrô fecha. Com sorte, eu chegava a tempo do segundo set do segundo jogo. E só consegui ficar até o final, sem desespero, porque minha irmã foi me buscar no Ibirapuera.

(Sem contar que, depois dos jogos da quinta-feira, eu só fui nas semis e na final porque sou teimosa e já tinha comprado os ingressos.)

O que fazer?

1. Antecipar o horário de início dos jogos – para quem trabalha, é inevitável perder os primeiros jogos. Mas seria realmente melhor não precisar perder o final do último jogo. Em Londres, a sessão da noite começava às 18:00, com jogo de duplas (deciding point e match tiebreak) e depois o de simples. Não tinha como passar do horário, até porque o metrô ficava a 3 minutos da Arena O2.

2. Match tiebreak na fase de grupos: ver o item anterior. É complicado programar quatro jogos de simples encerrando em horários aceitáveis para quem depende de metrô e/ou trabalha na manhã seguinte.

3. Combinar o Challenger Finals com exibições do Federer (ou de algum outro tenista capaz de atrair um pouco de público): metade dos ingressos vendidos a preços mais altos, antecipadamente, e metade dos ingressos vendidos na bilheteria no dia do evento, com preço aumentando a cada jogo iniciado. Vai ter federete acampando na fila pra pagar baratinho e sentar no lower ring!

Deixe um comentário