17

fev

De quem é a culpa pelo Brasil Open?

O Brasil Open acabou hoje e confesso que estou feliz porque não vou mais ficar subindo a Manoel da Nóbrega e morrendo na fila do guichê do Cometa e chegando em casa tarde, suja, cansada e com fome.

Claro que eu fiz tudo isso porque tenho problemas mentais e acho que o torneio vale a pena, e foi super bacana ter Nadal e ter todo aquele público e ter Bruno tricampeão. E que bom que não é mais no Sauípe e eu posso ir!

Mas deixa eu falar: o Brasil Open 2013 também foi uma droga.

Então vou aproveitar a minha capacidade de fui-em-cinco-dias-de-Brasil-Open, sentei-no-anel-superior-e-no-inferior, já-assisti-Challenger-Finals, já-fui-em-torneios-maisfodásticos e não-trabalho-pra-nenhum-dos-envolvidos para brincar de “De quem é a culpa?”.

De quem é a culpa por essa quadra ruim?
Da organização.
E não adianta falar que o hotel era cinco estrelas, Feijão: estamos falando das quadras, não da acomodação dos jogadores.
Ninguém espera que seja igual Roland Garros, mas a fita que marca a linha na quadra soltou várias vezes nas quadras secundárias. Tinha buracos. Tinha reparos com a enxada ou sei lá. Tinha gente consertando a rede no horário em que o jogo deveria ter começado. Durante um treino, tinha um ponto da quadra em que simplesmente jogaram uma toalha, deram umas pisadas em cima e depois evitaram. Teve gente torcendo o tornozelo, teve Nadal afundado o pé no saibro. Teve uma quadra que foi simplesmente fechada porque não dava condições de jogo. A outra quadra tinha goteiras.
Ok, já vimos água minando em uma quadra de US Open (Andy Roddick liderando a revolução) e um ponto morto em uma quadra de Australian Open (consertado com uma furadeira durante um aquecimento), mas o que fazer quando nenhuma das três quadras estava boa e/ou podia ser consertada?

De quem é a culpa pela bolinha?
O Nadal defendeu a quadra (isso foi antes daquele dia em que ele afundou o pé no buraco) e acusou as bolinhas da Wilson (disclaimer: Rafa é atleta da Babolat). Aí o problema é mesmo da ATP, que permite.
(Re:aquela história de que a organização escolheu a tal bolinha para supostamente dar vantagem pro Thomaz: para igualar tecnicamente o jogo contra o Volandri?)

A dupla Nadaldian não jogou duplas na quarta-feira. De quem é a culpa?
Nadal e Nalbandian desistiram das duplas para preservarem o físico pras simples. Lance normal e até esperado.

A dupla Nadaldian não jogou na quarta-feira e eu só fiquei sabendo depois do jogo do Chardy. De quem é a culpa?
A organização não pode anunciar isso no meio do jogo de outras pessoas. Situação normal. Recomendo um smartphone.

O Nadal não foi aquele Nadal. De quem é a culpa?
Sua, por ter as expectativas erradas. Ele está voltando depois de meio ano afastado, e continua puxando o joelho.

De quem é a culpa por eu não ter conseguido autógrafo e/ou foto com o Nadal?
Sua, por ter as expectativas erradas. Nadal atendeu bastante gente, mas ele veio pra jogar um torneio. Recomendo tietar a galera menos famosa, que te arruma até apparel.

O Bruno Soares conquistou o tricampeonato do torneio de duplas e só jogou na quadra central na final do domingo. De quem é a culpa?
De quem fez a programação. Respeitar o Bruno Soares não é dar um pratinho pra ele no domingo, é colocar os jogos dele no lugar onde cabe a torcida.

De quem é a culpa pelo torneio ser num lugar tão cheio de problemas como o Ibirapuera?
Não tem lugar melhor na cidade.

Quem é o culpado pelas quadras 1 e 2?
A organização. Em 2012 tinha sido a primeira vez, mas agora vocês tiveram o ano inteiro para refletir. Não tem nenhum cabimento colocar jogos oficiais do torneio ao lado de outro jogo (ou, pior, do treino do Nadal!), separado apenas por uma rede ridícula. Não tem cabimento não dar pra ver a quadra inteira da arquibancada. Não tem cabimento só liberarem um lado da arquibancada para a torcida (e o lado ruim, ainda por cima), até lotar, porque o outro está com sei lá qual problema. Não tem cabimento fechar as duas laterais que teriam mais visibilidade.
Se colocassem uma quadra no Mauro Pinheiro, teríamos uma segunda quadra quase aceitável (fora os problemas do saibro e as goteiras). A terceira, para poucos jogos, precisa ser improvisada em qualquer outro lugar.

Sou jornalista credenciado e não tinha onde sentar. De quem é a culpa?
Da organização. Mas dizem por aí que não é pra reclamar de nada se estiverem te alimentando.
Os seguranças primeiro fechavam o acesso para os assentos dos jornalistas, e depois acabavam liberando tudo porque não tinha onde a torcida sentar.

O ingresso estava caro. De quem é a culpa?
Assistir jogo de tênis não é necessariamente caro, mas assistir Federer, Nadal e Djokovic por aqui fica caro. Não sou da organização, não sei o quanto foi o-cachê-do-Nadal e o quanto foi aproveitar-que-tinha-procura.

Eu paguei caro pelo ingresso e não encontrei lugar para sentar. De quem é a culpa?
Da organização.
O diretor do torneio negou que tenha havido overbooking, mas tinha mais gente sentada nas escadas (olá, bombeiros!) do que eventuais assentos vagos. Na terça-feira, quando eu estava no anel superior, vi muitas pessoas com problemas para encontrar assentos em que desse para ver toda a quadra, por causa de estruturas de câmeras. No final de semana, no anel inferior, vi torcedor barracando com segurança porque não encontrava lugar para sentar. No fim, liberaram lugares reservados para a imprensa, e continuou faltando lugar.
Não sei se venderam todos os assentos incluindo aí os assentos sem visibilidade (provavelmente) e os locais reservados para imprensa, equipamentos, convidados e carro do patrocinador (possivelmente). O diretor do torneio também levantou a possibilidade de ingressos falsificados, mas não sei dizer se a ruindade da T4F se estende a esse nível.
Só sei dizer que QUATRO funcionários controlavam a minha entrada no ginásio: o primeiro olhava meu ingresso e minha carteirinha de meia-entrada; o segundo lia o código de barras do ingresso; o terceiro destacava uma parte do tíquete; o quarto me dava uma pulserinha.
(Devo dizer que vi um caso em que a pessoa tinha ingresso de superior e ganhou pulseirinha de inferior, e vi pulserinhas de todas as cores em um dos dias na primeira rodada.)
Mas sabe o que realmente ajudaria aqui? Assentos numerados. E as cadeiras têm números, mas a venda de ingressos não se importou com isso.

Passei fome/sede durante o jogo. Quem eu posso culpar?
Você mesmo. Leve alguma coisa na bolsa, ou compre antes de subir. Eu também passei fome.
Por algum motivo o torneio permite que circulem vendedores de lanches e bebidas no meio da arquibancada lotada, mas o alcance fica limitado quando tem muita gente.

De quem é a culpa por esse ginásio nojento?
Honestamente, achei que o controle de lixo estava aceitável. Mas imagino que seria impossível lavar aqueles degraus todos os dias, então não tinha como continuar limpo. Digo isso como uma pessoa que dobrou a unha do dedão do pé porque meu pé escorregou em uma meleca derretida no chão e eu acabei dando uma topada violenta contra o encosto da cadeira da frente.
Mas claro que tudo ficaria limpo por mais tempo se todos tivessem mais cuidado com a sua comida, mas às vezes você acabou de comprar uma Coca-Cola e BAM, vem uma bolada. Sinto muito.

Estava calor no Ibirapuera. De quem é a culpa?
A cidade não tem lugar melhor.

Levei meu filho bebê para ver o Nadal, mas estava calor e ele ficava reclamando, aí eu não pude ver o jogo. De quem é a culpa?
Sua. Se você insiste em levar criança pequena para jogo de tênis, escolha um dia ou torneio mais esvaziado.

A torcida foi péssima e ficou vaiando o Thomaz/tirando fotos com flash/gritando entre primeiro e segundo saque. De quem é a culpa?
Da torcida. A organização não pode fabricar bons modos para todos.

A arquibancada estava uma muvuca durante os pontos! De quem é a culpa?
Em uma boa parte: da organização. Os seguranças não fechavam os portões no tempo certo e, depois que fechavam, as pessoas continuavam sem lugar para sentar.
De vez em quando: da torcida. Se você entrou correndo quando o game já ia começar e tem um lugar vazio por perto, senta ali mesmo e procure um lugar melhor sentado até ter a chance de mudar.

De quem é a culpa pela punição por violação de tempo que o Bolelli levou na semifinal?
Eu culpo o juiz de cadeira. Ou você coloca ordem na casa, ou você não pode penalizar o jogador que não sacou enquanto a galera gritava. Depois disso, Nalbandian passou a sacar com tumulto mesmo.

De quem é a culpa pelo torneio acontecer tão longe da minha casa?
A culpa é sua por morar em Jundiaí.

3 comentários

  1. joana disse:

    hahahaha. Sabe que eu gostei. Foi o texto mais sem firulas, objetivo e sensato que li até agora sobre o assunto. Pode ser que apareçam melhores mas por enquanto foi o que mais gostei.

    ps.; obviamente não sou de Jundiaí, ;-)

  2. Luiza disse:

    Fora alguns seguranças cobrando propina pra reservar lugar ao lado do túnel dos jogadores. Que o diga aquela família de Rolândia, que todos os dias chegava lá e encontrava uma fileira inteira à disposição, reservada por um segurança.

  3. Ana Laura disse:

    Concordo com TUDO o que foi escrito aqui! Pretendia dar o meu relato hoje pelo Facebook mesmo e depois direcionar minhas queixas a quem cabe, mas esse post já sintetizou tudo o que eu pretendia expor. Em resumo: VERGONHA!!

Deixe um comentário sobre Luiza