31

ago

22/30

Uns bons dias atrás, no aniversário da Li, a conversa obviamente chegou ao momento como-assim-trinta-anos. Aí eu comecei a falar:

– Sabe uma coisa que me incomoda? Minha mãe tinha 30 anos quando eu nasci…

Aí me cortaram e teve uma reação caminhando para o “ih gente, ela está preocupada porque a mãe dela já tinha 3 filhos nessa altura da vida e ela claramente vai morrer sozinha (ou com 72 gatos)”. Mas calma. Calma. Eu estava só morrendo de sono e não tinha bebido nada. Não estava e não estou naquela conversa.

O que eu queria dizer é que eu não lembro da minha mãe aos 30, mas eu lembro da minha mãe uns poucos anos depois. E ela era tão incrivelmente adulta e… put-together, sabe? Com a vida resolvida, sem ser incomodada, sem fazer piadas bestas, sem achar que vai morrer de fome se ficar sem supervisão.

Não sei como outras pessoas (eventualmente) me percebem. Eu acho que vou pular da adolescência pra velhice sem nunca ser adulta. Nunca ter a vida resolvida.

Ou talvez pareça que eu tenha a vida resolvida.

O que pode ser ainda pior.

Deixe um comentário